Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

19.Out.19

...

Vindas de mãos cansadas, pesam-me as palavras como me pesa a alma.

A grafite expõe-se em papel borrado, já de tanto erro nele fincado;

Não encontra repouso, nunca fazendo eu dela palavras.

 

Se de teimosia se de zelo, guardo o que escrevo na mente nela mesmo

Receando algo ou alguém mexer naquilo que nunca me atrevi a ser eu a fazer.

Não escondo o que não sou nem o que apresento: sou nada cá dentro.

Inequivocamente me compreendo, quando a todos os cantos do meu ser pergunto-me

Se «já posso ser eu», ou se terei que aguardar sendo mais gente?

 

Que identidade se esconde, naquele que para todos à luz se mostra e à gente?

Que revelarão as palavras que não têm peso?

Que escreverá uma mão ágil numa mente velha?

Quem sou eu, escrevendo... 

 

 

 

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.