Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

23.Dez.17

A verdade está noutro lugar

Se há coisa que o homem procura, é a procura em si. Procura procurar e ambiciona em encontrar. Porquê ambicionar e não desvendar de facto? Porque o homem procura a perfeição. É um ciclo de procura em procurar. Se a encontra, talvez sim, mas sempre não. O que é perfeito, ou o que chamamos de perfeito? A perfeição? E de onde vem tal termo? Da opinião do avaliador, ou da Forma do julgado?

Se existe a Forma «Perfeito», então, tudo o que for a Forma bem dita, será perfeito.

- Forma - O que será então o termo universal de um nome implicando a sua forma, o seu aspeto e função. Assim, Forma será o nome universal a que se aplicou a algo (uma mesa é chamada de mesa devido à sua Forma: é o seu termo universal de ser, uma mesa (um objeto com o intuito de servir de apoio) e o termo/nome que se aplica a esse objeto, «mesa»).

A universalidade, (ou a tentativa da sua aplicação), é a criação do ''Uno'', de universal. É assim que todos chamamos de mesa àquele objeto onde usamos para nos servir como suporte. A forma da mesa foi idealizada, fabricada e divulgada para se fazer universalmente a dita mesa, e mais que isso, a Forma.

Virando-me um pouco para a matemática, não para os números em si (que minhas queridas letras, mesmo não conhecendo o vosso uso e as vossas demais combinações nem uma terça parte das existentes só na minha língua, prefiro-vas mil vezes e mais uma que contas numéricas e equações), mas diretamente às formas geométricas. A forma de um quadrado é um quadrilátero regular, (com todos os seus quatro lados iguais), criando a sua Forma neste simples principio. Todo o quadrado é perfeito sendo a sua forma? Sendo imutável e constante? Nas matemáticas não temos então a opinião para influenciar o facto, o que está 'escrito' que é, é, e tem que ser, estritamente o que está apresentado. «Os resultados não enganam» (se não forem feitos por mim) na matemática.

Como fazemos assim para apresentar tanto objeto disforme a sua Forma? Não há então vários tipos de mesas? Porque são todas elas chamadas de mesa? Bem, todas elas partem da Forma «mesa», e, sendo assim, é por todas se aproximarem dessa Forma que são consideradas mesas e não outra coisa qualquer.

Então a perfeição está na Forma e não na sua descendência? Tudo vem da origem do Ser, e tudo o que é, não o é então perfeito por não ser a Forma.

Que diálogos serão estes que ando para aqui a ter agora que nem sentido ainda fizeram quanto mais mostrarem o que quero mostrar. Bem, é ficando perdidos que queria que ficássemos (incluindo-me a mim) para quiçá o desfecho deste texto (se é que ficará como a perfeição e nunca alcançará tal fim).

O que queria introduzir era a ideia da Forma e o que seria então a «Forma». Não sei se com sucesso (ou fracassando miseravelmente) consegui dizer que Forma é mais que a forma do objeto em si, mas também aquilo que representa e o que o faz ser aquilo para que foi feito. Utilizando o exemplo da mesa, ficou explícito o que queria mostrar e como a diferenciar de outras Formas por assim dizer. Como ocorre com os animais? Ou a vida? Será que temos assim, Forma para tais?

Será que para a vida há uma Forma que faz o que provém dela, ser assim, vida? Ou que um cão (exemplo) tenha vindo da Forma «cão» e que tudo o que chamaremos de cão parta desse pressuposto? Mas se há de tantas variadas raças como poderá haver assim a Forma cão (ou de qualquer outro animal)?

É... É aqui que fica estranho, se é que o que ando a escrever pode ser considerado normal.

Para os crentes no cristianismo e em Deus, temos então os seus «filhos» que são os homens, provenientes então assim, Dele. E que Forma terá Deus? Não são os crentes que dizem que Deus não tem forma? E que Deus é perfeito? Então é no mundo espiritual que estão as Formas, e a única forma de viver num mundo perfeito, ou em conjunção com os ideais perfeitos (as Formas), seria, por assim dizer, mortos.

 As Formas vêm então do mundo espiritual e é assim que elas são, a perfeição do idealizado, e tudo o que vem delas são então as suas descendências, nenhuma como Ela, mas suficientemente (dizendo uma barbaridade agora) 'semelhantes' a Ela para terem o seu nome.

O que o homem procura não encontrará enquanto procurará. O que o homem quer encontrar, não o encontrará sendo homem. Nada do que é perfeito habita neste mundo porque é tudo descendência da Forma a que foi destinada, e não a Forma em si. Se Deus (para o cristianismo e as suas crenças) não tem forma, nenhum homem é perfeito sendo seu descendente, (e talvez por isso que se possa redimir dos seus pecados com a palavra do Senhor, compreendendo Este assim entre os enganos assim como a lealdade para com Ele).

Se tudo provém da Forma (que vimos agora ser espiritual) tudo é imperfeito por não Ser em completo. A Forma é a perfeição, a universalização de tudo, o Uno que não pode ser alterável e que será sempre o que foi independentemente se foi hoje, ontem ou daqui a mil anos, (o que não acontece com as descendências menos espirituais das Formas).

Uma outra questão. Conseguem ser as formas geométricas perfeitas? Sendo elas mesmo as Formas? Ou por haver mais que um quadrado faz com que nenhum venha do outro e haverá então ainda outro sendo este a Forma, e os demais as formas deste. Mas assim o que seria a Forma?

                . . .

               

Como pode haver «Conhecimento» se as pessoas não conhecem o que há para conhecer por não verem nem estudarem a Forma mas sim o que provém dela? É tudo ilusão, só no mundo das Formas há o Conhecimento. A verdade está noutro lugar.

 

«Resumo» (Melhor indicado por mais palavras - O meu raciocínio do livro): Platão 'A verdade está noutro lugar'

img_797x448$2017_02_01_15_48_39_205317.jpg