Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

29.Nov.18

Furão (de sentimentos)

Alternei o sol pela lua.

O dia solarengo pelo ambiente frívolo;

A constante suposição de que por detrás da cortina nublada 

Estará algo incerto, mutável, coisa de pouco valor pois não se afirma...

 

Sei eu hoje o que tanto se escondia,

Não fosse eu quem se levanta de noite ao invés do dia,

Que à lua uiva e que o sol repudia;

Um jogo das escondidas, que faço sozinho para meu desalento e não divertimento.

(Por aí algures ando perdido).

 

Pensando não estar longe

Tanto percorri que cansei este caminho:

O solo desidratado, o trilho desgastado,

Várias depressões, tropeçando eu nalgumas,

Caindo mesmo noutras.

 

Habita a mente como cética de si mesma,

Nestes corredores estreitados pela escuridão.

Tanto já fiz eu, até do fundo fazer chão

Ou mesmo no seu interior conectar vários pensamentos como túneis

Conseguido interligar alguma informação.

Mas encontro-me como um furão desesperado pela toca de onde entrara,

Fazendo de saída a sua própria sepultura...

 

Enterro pensamentos e sentimentos,

Origino fantasmas que tão pouco já me oferecem medo...

Esqueceu-se a mente que eu sou gente

E vive demente, comigo adentro!

Tão pouco sei o que é viver, nada conheço da vida,

Leio páginas brancas do livro que o mundo me ofereceu

E tão pouco sei o que nele escrever, sendo eu um furão de sentimentos.

 

3 comentários

Comentar post