Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

23.Dez.17

Liberdade

E agora, longe de tudo menos de mim mesmo, escrevo. Escrevo livre se é assim que estou, aprisionado se é assim que me encontro, sei que escrevo, e que escrevi, e que escreverei. Com ou sem liberdade, com ou sem correntes de volta dos meus pulsos e do meu corpo. No fim sei que na mente sou livre. Liberdade que nem eu tenho tamanho poder de a fechar, onde se encontra tudo a partir do nada. Nasci, aprendi e aprendo.

E agora solto, não de mim mas de tudo o que me pertence, escuto. Oiço o tão dito silêncio que tudo me diz, que tudo procurava ouvir, ao dizer nada mas só o barulho do vento. É um silêncio bom, cheio de reflexões que mais que as minhas as que este trás com tanta vida que não pode ser segura, uma liberdade vivida.

Estou comigo mesmo, sozinho e acompanhado. Sozinho porque sem ninguém, acompanhado pois por tudo. É tudo estar tão perto de nada, com tão pouco se cria o que com tudo não se imagina. É companhia estar sozinho, a melhor se connosco queremos estar.

Procurei durante muito tempo o que não existia, teimava no insucesso, na infelicidade, teimava em ver no escuro o que só a luz podia me mostrar. Hoje não vejo luz, vejo um caminho traçado no chão e é assim que sei para onde ir... Onde este não me leva.

Não quero mais um mundo só meu (o meu destino ''único''), quero viver onde estou, fazer o que faço, poder voar sem ter asas, ter tudo sem o tudo e sem o ter, quero viver!

E agora, longe de tudo menos de mim mesmo... E agora, solto não de mim mas de tudo o que me pertence... E agora?