Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

07.Set.18

Perdido no silêncio...

Oiço as gotículas caindo na minha janela,

Choradas por um céu melancólico

Que se tornou o meu dia.

 

Sentado à minha secretária escuto os rabiscos,

O amachucar de pensamentos perdidos

Que vieram ao mundo apenas para serem destruídos...

 

Passo a vista nestas minhas páginas da vida,

Apresentando-se mais pesadas a cada viragem

Pois já no papel estão com tanta tinta;

E eu, que ainda agora comecei esta viajem...

 

Ainda assim não vejo um volume II

Para esta minha enciclopédia pessoal.

Só lhe vou sentindo o peso do que escrevo,

Esse cada vez mais real...

 

Porquê então, apontar todo este mal?

Pois nada mais que isso o é,

Quando me sinto a carrega-lo e não a acompanha-lo.

 

Pois se não o fizesse

Ficaria perdido com o silêncio,

Longe de tudo o que pulsa e respira,

Longe de mim e da minha vida...

 

Não há folha mais leve que aquela que livre se apresenta,

Sem o peso de ninguém a segura-la,

Sem as marcas que nela ficariam vincadas...

 

Mas eu já nasci prisioneiro desta minha ideia,

E enquanto viver, nada a fará surda ou muda:

Apenas me encontrarei com o silêncio

Quando este me encontrar a mim...

 

Hoje, hoje escuto a chuva forte lá fora.

A caneta assumida na sua história.

Recolho os papeis que jazem na secretária amarrotados,

E com eles este poema crio, neste dia acinzentado...

 

 

6 comentários

Comentar post