Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

05.Mai.19

...

Francisco
A life perished from a cursed soul, But neither did life or his mind, were gone. Wanderer of realms, lies and deaths, A vision of the end of the world had come.   Blind by sorrow, Cripple by the force of his own will, A man was no longer a man But a tree.   The rotten world fed him, The putrid waters killed his thirst And horrendous forms it got. A tree was no longer a tree But the entire world.   A seer darned with darkness, Sheltering no life but its own. A world has (...)
30.Dez.18

Gostava de saber (que título dar a isto...)

Francisco
Escrevo em papel envelhecido pelo tempo Aquilo que mais vivo sinto, por dentro.   Contradigo o sentimento, fazendo-o de pensamento. Prolongo e antecipo a vida, mas tudo isso apenas na mente.   Esguio, entranho-me dentro da ampulheta que rege a vida e o momento E assim caio, eternamente, em todas as situações e acontecimentos empurrados pelas areias do tempo.   Penso muito no passado, no que poderia ter feito. Mas aquilo que não disse ontem é o que penso ao escrever hoje, (...)
22.Nov.18

...

Francisco
Crava-me fundo as garras O lobo que se escapou das suas amarras!   Os seus olhos vertem sangue Quais lágrimas de dor pungente, A sua boca saliva espuma Qual mar bravio percorrendo a costa!   Por dentro percorre-me a bruma De pensamentos, aos quais não os entendo Pois tudo em mim fez-se nevoeiro; Muralhas que construí, terrenos que plantei...   O lobo atravessa agora o solo singelo Cravando-se em mim, rasgando ferozmente o nevoeiro, Abocanhando-me de uma só vez Deixa (...)
12.Nov.18

Eterno

Francisco
Hoje observei as árvores, As suas toscas formalidades As suas folhas caídas, as mais resistentes num suspenso cansado, E o pensamento que me atingiu foi o das suas idades.   Anciãs da natureza,  como as nascentes e as pedras, Estas guardam sabedoria. Nas árvores há vida, e há o tempo que a prolonga E elucide que a existência só não predomina.   Num abraço ancestral o novo galho ramifica-se E, das suas raízes, bebe o conhecimento da vida Prologando assim o curso (...)
26.Out.18

Lost

Francisco
 (audio)   I've been wandering, for quite some time 'Ve'been lost, cold, alone... Been dying a slowly death, and a phantom pain always felt. Its all inside me, and is not willing to disappear.   The sun for me is not warm no more, The moon even freezes my bones, almost my soul. The day is shallow, seems illusion. The night is lifeless, always dark.   My tears don't drop for me no more, they accepted the pain that is living like this. Today, a smile on my face is rarer than gold. I' (...)
21.Out.18

...

Francisco
Deixei o homem na rua. Abandonei tal ser para ser-me, então, Sem desejos ou ambições, apenas eu E a criança curiosa a quem dei a mão.   O quanto ele puxa, o petiz! De uma energia inesgotável faz-me cansado, E lá me solta e brinca e salta no prado Enquanto eu descanso e lavo a cara num riacho.   Ah, o quanto não nos fomos iludindo Que a juventude seria eterna, pois a vontade de a ter se igualava a tal. O quanto da vida não fiz, para fazer mais tarde E que agora é (...)
18.Out.18

O tempo que passe...

Francisco
Abandonei a esperança num lugar escuro E não tenho agora forças ou vontade de a encontrar. Deixei o pensamento esvair-se da mente Como o uísque da garrafa por onde bebo, E já não me faz esse agora tormento Pois já não me recordo do que estava a pensar. A garrafa encontro-a a meio e talvez ainda a sobriedade do pensamento Se revele de tal forma, pois começo e abandono esse qual processo de encher e tragar um copo. Olho o tempo mas não encontro nada nele Mas vê ele em (...)
11.Out.18

Copiadores originais

Francisco
O quanto de nós não é dos outros? Não necessariamente entre todos os vivos, mas entre todos os que vivem e viveram. Quão diferentes somos realmente do próximo?  Sabem, muito pouco. Desde o primeiro homem, que foi aprendendo e ensinando (d)o ''segundo'', que se viveu em grupo. As gerações, surgindo com o tempo, fizeram com que o leque de conhecimento abrangesse uma muito maior área devido à evolução da mentalidade, e, acontecendo a seleção (natural ou voluntária) daquilo a (...)
09.Out.18

Não é necessário guerra para haver paz

Francisco
Não sei de onde surgiu a conhecida frase «Para haver paz é necessária a guerra», mas pensei nela durante muito tempo. Tempo suficiente para concordar, discordar, achar deplorável ou encontrar-lhe o sentido.  É fácil achar-lhe a razão, deve ser até por isso que nos dias de hoje é realmente assim que se desenvolve a paz praticando a guerra. Bem, o mundo é este, e mesmo aqueles que batalham contra ele - a favor de um melhor - fazem todos parte do mesmo; Onde um tira a vida e (...)
26.Set.18

Outside of the Gates

Francisco
My hands are trembling My body doesn't move. I'm stuck in my fear and i can't fight back!   I'm covered in mud and blood of my enemies and my own. My sword is dented, My arm broken And i have no more will to carry my shield Of how heavy it turned into. I praised to the Gods to give me strength But i failed to prove myself to them! Odin! Make your cruelty my justice, Your eye my vision; And from your ravens Give me memory and wisdom! I shall fight for a world with a sun (...)