Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

Fui. Sou. Serei...

Pensamentos do (meu) mundo.

29.Nov.18

Furão (de sentimentos)

Francisco
Alternei o sol pela lua. O dia solarengo pelo ambiente frívolo; A constante suposição de que por detrás da cortina nublada  Estará algo incerto, mutável, coisa de pouco valor pois não se afirma...   Sei eu hoje o que tanto se escondia, Não fosse eu quem se levanta de noite ao invés do dia, Que à lua uiva e que o sol repudia; Um jogo das escondidas, que faço sozinho para meu desalento e não divertimento. (Por aí algures ando perdido).   Pensando não estar longe
24.Nov.18

Sangue

Francisco
Encontro-me em jardins esquecidos, Emaranhando-me entre ervas e espinhos Sujando as botas de lama e salpicando a rosa que levo branca Encostada ao peito, Ouvindo-me pulsar ao abraçar-me o coração.   Os trilhos por onde caminho apresentam-se abandonados, Os canteiros circundantes tombados, as flores transparentes, sem cores... Prevaleceu o selvagem, onde habitara outrora alguém muito próximo A quem hoje me escuta.  - Irei levar-te a casa!   Não te conheceria, flor (...)
03.Nov.18

Dreamy child

Francisco
Been dreaming even before i knew how to talk, All simple things, as the comfort of family Or that colorful light upon my crib. My very own sunshine.   That simplicity never vanished, I think i ask now less than i did before, Is just that... Words, came along... And life became more than smiling and crying over a minute alone.   I never cared less for what i was doing, Somehow i felt that this wasn't my time, This wasn't my life, this had nothing to do with dreams. Life (...)
01.Nov.18

Segredo

Francisco
Pernoito em pensamentos que faço fartos, A lua ilumina-me os sonhos e as estrelas recolhem-nos Para que possa rever-lhes uma outra vez, Sempre que os recordo.   Para o mais grandioso sonho reservei-lhe a mais brilhante estrela, E ilumina ela os dias que seriam negros, caso se abandonado me deixasse Num qualquer beco escuro sem alegria. Não, esta brilha e eu deixo a noite dar lugar ao dia.   O ser guarda-se no tempo, mas o tempo não tem lugar cá dentro. Sentimo-nos (...)
14.Out.18

A poesia não me chega

Francisco
A poesia não me chega. Ou talvez seja eu, que não sirva para poeta. De tantas palavras me vejo sedento Mas de nenhuma tenho realmente orgulho em ser minha.   A poesia não me chega Pois não trago do licor da vida, Fico-me apenas com as palavras rotuladas na garrafa em que é servido, Causando-me náuseas o seu odor pujante, E não o travo forte e amargo de provar essa bebida.   A poesia não me chega Pois amo amores que não me pertencem. Sinto-lhes o aperto forte no peito,
26.Set.18

Outside of the Gates

Francisco
My hands are trembling My body doesn't move. I'm stuck in my fear and i can't fight back!   I'm covered in mud and blood of my enemies and my own. My sword is dented, My arm broken And i have no more will to carry my shield Of how heavy it turned into. I praised to the Gods to give me strength But i failed to prove myself to them! Odin! Make your cruelty my justice, Your eye my vision; And from your ravens Give me memory and wisdom! I shall fight for a world with a sun (...)